Top Social

GUIA DO CONSUMIDOR | CDs - BACIÃO DA PROMOÇÃO

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

O ano é 2017 e eu ainda compro CDs. Como eu consigo álbuns novos com a queda do mercado e mesmo assim os discos ainda estando caros? Normalmente eu compro em certas lojas do Centro do Rio, ali na Sete de Setembro, depois do João Caetano, tem duas lojas com umas pérolas com preço honesto, mas recentemente a melhor opção é ir na Saraiva. Naquelas promoções na entrada do site eventualmente há algo dizendo 10 CDs por 50 reais, 15 CDs por 60 e por aí vai. O grande detalhe nesse esquema é que é relativamente complicado ter na relação de 150 a 200 discos promocionais os 10 ou 15 que você queira, nem que seja para experimentar, ou seja, você deixa de comprar 7 ou 8 CDs por faltar alguns pra fechar o desconto e só monta o carrinho pra ver como fica. Em uma dessas promoções eu finalmente consegui comprar 15 por 60. Alguns eu já tinha, outros foram apostas, alguns são curiosidades. Nesse Guia abordarei coisas desse pacotão e outros discos.

Elton John - Live in Australia with the Melbourne Symphony Orchestra (1987)
Em Março fiz uma postagem de duas partes sobre a discografia de Elton John após a cirurgia para a retirada dos nódulos nas cordas vocais. Em maio descobri esse disco em São Paulo que registra os últimos shows antes dessa operação. A voz já está em um tom mais grave em alguns pontos, algo que serve como referência de como músicas mais clássicas de seu repertório ficariam. A seleção de músicas é diferente dos greatest hits habituais, o que é perfeito. A banda é afiada, do tempo que tinha seção de metais. A orquestra é perfeita e o fato do CD não ter overdubs valoriza o trabalho. Nada é cansativo ou desnecessário. A+

Bette Midler - It’s the Girls!
Midler é uma das divas antigas, que seguem a escola antiga do show business de fazer o máximo possível com qualidade (cantar, dançar, atuar e escrever. Algo que poucos conseguiam ainda naquela época). Ela, tal qual Phil Collins em Going Back, faz uma releitura de músicas inspiradoras, no caso dela, girl bands ao longo dos anos. O resultado é decepcionante. A voz está ótima, mas o arranjo é limpo demais. Se você bota Be My Baby como música de abertura e falha no arranjo, o desastre é iminente. O CD me custou 4 reais, número esse apenas um abaixo da quantidade de músicas razoáveis aqui. Evite. D

Daniel - In Concert em Brotas
O melhor sobrevivente do sertanejo noventista comemora bem os 30 anos de carreira num CD duplo justificável. O primeiro tem um repertório variado, onde até Carlinhos Brown vai bem. O segundo é mais sertanejo e com participações pertinentes. Mas ainda é estranho ver Daniel cantando duas do Lulu Santos, que historicamente falou mal de sertanejos, ou cantando Será (?). Até a versão do Roupa Nova pra Heal The World aparece aqui. Só no final há o medley com os maiores sucessos, mas você não fica impaciente pra que chegue, o que sempre é um bom sinal. A.

Big Time Orchestra - Live in Portland
Esse foi uma aposta, pra completar os 15 do pacote. O que uma banda de Curitiba estava fazendo numa turnê americana, nunca saberei. Se você faz um CD com menos de 30 minutos tendo 10 faixas, ou você é punk ou faz algo memorável. Nenhum dos dois acontece aqui. O repertório é interessante, mas a banda não se prolonga pra que possamos aproveitar mais, o resultado se torna frustrante. Certamente deve ter algo mais completo no Youtube. C -.

Lulu Santos - Luiz Maurício!
De uma forma ou de outra ele sempre se mantém relevante e com opiniões consistentes. Ele foi a pessoa que defendeu Tremendo Vacilão como uma das melhores músicas do ano que saiu em pleno O Globo (e ainda assim Perlla jogou sua carreira fora). Se eu soubesse que esse trabalho era tão bom, teria pago o preço completo ao invés de ter pago apenas 4 reais. É moderno, já começa com os remixes logo de cara, o que é estranho, mas funciona. Como as versões originais da faixa-título e Sócio do Amor não viraram hits radiofônicos é um mistério pra mim, pois são espetaculares, a segunda tem um arranjo de cordas que torna tudo majestoso. Outro ponto alto tem cordas, Drones, um instrumental com Lincoln Olivetti. É um dos melhores álbuns nacionais da década até agora. A.

Roupa Nova - Sem Limite
É a segunda melhor compilação já feita da banda, só perdendo para o Nossa História, que cobre um período específico, tem 4 cds e um livreto explicando extensamente a seleção musical. Esse tem 2 CDs e pode ser achado facilmente na Saraiva por menos de 20 reais, até por menos de 10 numa Black Friday. Cobre o estilo musical clássico da banda, do início dos anos 80, com algumas raridades pra fãs hardcore, além de colaborações consagradas feitas para outras artistas, como Gal Costa. Ao mesmo tempo tem espalhado nos dois CDs quase todas as faixas do Agora Sim!, que apresenta uma versão repaginada de grandes sucessos. A pessoa que montou a setlist está de parabéns. A.

The Bacon Brothers - Can’t Complain
Kevin Bacon aparentemente tem um irmão. Os dois tocam, cantam e compõem, algo o qual eu não estava ciente. Em que pese o fato do encarte ter a foto de duas lixeiras, o álbum é bom. É… folk, o que eu não tenho o costume de ouvir e é agradável, talvez eu deva ouvir mais. Certamente valeu os 6 reais que paguei numa promoção da Saraiva (não a do bacião do título, Black Friday 2015, acho).  Paris é uma boa música pra dar noção do que vem aí. B+.

Elvis Costello - Brutal Youth
My Aim is True fez quarenta anos em julho, mas meu álbum preferido de Costello quando se trata do puro e simples rock and roll, é Brutal Youth. É seu retorno ao estúdio com The Attractions em 8 anos, algo mais direto ao ponto do que álbuns anteriores, que se dedicaram mais em ter parcerias com Paul McCartney ou fazendo músicas falando mal de Margaret Thatcher (mas isso sempre vale a pena). Como o álbum não é mais valorizado é um mistério pra mim. Sua coesão entre seus pontos mais animados e os mais lentos impressiona. Recentemente tive acesso a um show da turnê desse álbum e o nível se mantém. Eu comprei num Original Album Series, com 5 CDs num pacote. Com sorte é possível achar por 40 reais, as vezes nem precisa ser numa Black Friday. A.



Post Comment
Postar um comentário