Top Social

RESENHA | O BEIJO DAS SOMBRAS - RICHELLE MEAD

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

SINOPSE

Esqueça tudo o que você aprendeu sobre vampiros — eles definitivamente não brilham à luz do sol, e vivem em uma sociedade bem mais complexa do que você imagina. Rose e Lissa sabem disso melhor do que ninguém. Lissa é a princesa de um clã muito importante de vampiros. Sua melhor amiga, Rose, é meio vampira, meio humana, e tem como missão se tornar guardiã de Lissa. Pressentindo que algo ruim vai acontecer, Rose decide que devem fugir. Elas passam dois anos assim, mas são encontradas e levadas de volta à escola de vampiros São Vladimir, onde terão que relembrar as causas de sua fuga e sofrer suas consequências. São paixões e vidas em jogo, traições e reviravoltas de tirar o fôlego, parte do mundo criado por Richelle Mead e povoado por personagens fortes e irresistíveis.

RESENHA

 

Algo que pode não ser de conhecimento geral mas que definitivamente já foi mencionado anteriormente e que, na verdade, nunca foi nenhum segredo é que "Crepúsculo" foi a obra que me impulsionou a dar o primeiro passo no universo literário. Junte isso ao meu amor incondicional, que vem desde a infância, por criaturas vampirescas e o resultado será uma ávida leitora de romances sobrenaturais cujo elemento sombrio principal é, justamente, a existência de vampiros. 

É claro que, ao longo dos anos, os vampiros acabaram tornando-se criaturas cuja face sombria passou a ser pouco explorada. Isso resultou num certo preconceito por parte dos leitores que, erroneamente, tomaram como verdade absoluta o modelo criado por Stephenie Meyer em seus livros. Felizmente, em 2007, pouco antes da explosão vampiresca, Richelle Mead deu início a saga "Academia de Vampiros", que em nenhum momento puxou o freio ao relatar o quanto sanguinolentos esses habitantes noturnos poderiam ser. 

Em "O Beijo das Sombras", através de um sistema de castas, a autora apresenta os Moroi, que seriam vampiros relativamente resistentes a luz do sol e que precisam se alimentar de sangue para garantir uma dieta saudável e força para que possam manipular um dos Quatro Elementos. Há também os Dampiros (Dhampir, no original) que seriam os filhos híbridos de Moroi com humanos. Mas não se pode esquecer dos Strigoi, vampiros que abriram mão de viver durante o dia e de seus poderes afim de tornarem-se imortais - esses seriam os vampiros clássicos e a maior ameaça para o universo criado por Richelle Mead.

Como um bom livro de início de saga, "O Beijo das Sombras" é bem didático e procura estabelecer todos os pontos referentes ao sistema de casta vampiresco, o propósito dos Guardiões, os ensinamentos da Academia São Vladimir e todos os acontecimentos que antecedem o início da narrativa. Em momento algum é uma leitura monótona, pelo contrário, a autora tem uma escrita fluída que faz com que as páginas sejam devoradas rapidamente. Isso somado aos personagens carismáticos e interessantes faz com que a leitura passe num piscar de olhos.

Gente como nós pode se sentir sozinha, às vezes. Podemos ter que adiar nossos momentos de "diversão". E talvez não pudéssemos viver a vida que queríamos para nós. Mas era assim que tinha que ser. Nós dois entendíamos um ao outro, sabíamos que havia outras pessoas que dependiam da nossa proteção. Nossas vida nunca seriam fáceis.

Rose Hathaway é uma ótima protagonista, apesar de se deixar levar por sua impulsividade em determinadas situações. Já Lissa Dragomir, a última de uma linhagem nobre, deixa a desejar por sua inércia algumas vezes, porém, existe toda uma justificativa para tal. Enquanto isso, Dimitri Belikov, o guardião responsável pelo treinamento de Rose e proteção da Princesa Vasilisa, é um personagem centrado, inteligente e forte, em diversos significados da palavra. Ao lado dos protagonistas existe todo um conjunto de personagens que merecem a atenção do leitor, como o misterioso Christian Ozera, a fútil Mia Rinaldi e o espirituoso Mason Ashford

No geral, o primeiro livro da saga conquista e desperta curiosidade suficiente para iniciar a leitura de sua continuação, "Aura Negra". Definitivamente não é uma história de terror como muitos assumem que devem ser os romances que trazem vampiros como protagonistas, mas é importante lembrar que trata-se de um young adult - e um que trata com maturidade e honestidade sua trama e personagens. 




Post Comment
Postar um comentário