Top Social

BLACK FRIDAY - A CAÇADA DA MADRUGADA

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Black Friday. O equivalente ao Aniversário Guanabara em intensidade, só que em um país inteiro, quando se trata de Estados Unidos. No Brasil, o conceito é subvertido, como acontece com quase tudo em nossa sociedade. Lugares fazem uma semana de promoções, certos sites já capricham e botam Mês Black Friday, pra dar um ar de superioridade. Muitos reclamam que é tudo fraude, todos os preços estão pela metade do dobro, etc. Mesmo argumento que também é usado pelos preguiçosos e indignos detratores da Bienal do Livro.

A Black Friday daqui tem preços enganadores, claro, até pela esquizofrenia de certos sites ao longo do ano. E nem todo mundo tem a disposição de pesquisar regularmente esses lugares pra confirmar se o preço está realmente decente, além de não saber que há sites que comparam preços, pois a modernidade é fascinante. Nesse ano eu resolvi levar a BF mais a sério e juntar grana pra isso, o que consegui, mesmo depois de gastar uma parte considerável na Bienal. Planejamento, sacrifício e determinação me fizeram ter um orçamento para gastar em meus sites de confiança e alguns novos. A partir de meia noite começou uma aventura, aqui descreverei os sites, minha satisfação e o que comprei.

SUBMARINO

Historicamente eu tenho um grande caso de amor com esse portal. Foi lá onde comprei Xscape duplo por 5 reais na oferta wow. O ARTPOP duplo também por 5, até comprei mais de um pra dar de presente, algo também feito para a biografia do Bussunda e uma biografia sobre Michael Jackson, que estavam 4 reais cada. Christopher Hitchens, coletâneas completas, a edição definitiva do Guia do Mochileiro das Galáxias, eu sempre comprei por um preço ótimo em bons dias, especialmente em Black Friday.

2017 está sendo atípico. Eles já não vendem CDs como antes. Não há nenhum livro atraente por lá em um preço bom e nem há ofertas boas no wow. A Black Freaky Friday não parecia atraente, mas ao menos havia jogos com um preço baixo, ainda que com um frete alto, por ser de uma loja parceira. Além disso, quando tiveram promoções boas, descobri que não entregam mais aqui em casa. Duro de Matar estava a 3 reais e não tive como levar.

Com essa introdução, nenhuma surpresa ao dizer que eles passaram em branco esse ano. Comprei pelo site da Americanas, até porque lá eu consigo retirar na loja, mas não neles nessa época e nesse ano em geral. Pior que não entregarem aqui é não ter um preço minimamente decente e perder a venda até nos jogos, que parecia ser certa.

SARAIVA

Por outro lado, a Saraiva esse ano esteve de suspirar e sonhar acordado. Muitas promoções boas consistentemente, muitos boletos montados que foram cancelados por falta de grana, mas que comprovam como eles não brincam em serviço. O incrível lugar dos 25 CDs por 100 reais em 2016.

Eles tinham umas HQs do Deadpool por 15 reais que por algum motivo subiram pra 20 reais, um grande vacilo. Uma ou outra se manteve por 10 reais e acabei levando. Me deram a dica que havia uma da Harley Quinn por 10 reais e também comprei. Esteve relativamente fraca em CDs, achei preços melhores ao longo do caminho, só levei um do The Temptations por 7 reais e outro do Frank Zappa por 12. O Cavaleiro das Trevas em inglês estava a 20 reais, mas eu já tinha. Antes da sexta feira havia um box de 75 anos do Batman a 45 reais, mas esgotou rápido. Já fiz compras maiores, mas andei diversificando mais esse ano. Estranhamente não pude escolher pra buscar na loja. 

FNAC

Por mais que lá eu compre mais por ocasião, sempre há algo surpreendente nessa época. Ano passado eu consegui comprar Chatô por 10 reais e ainda consegui pagar na lotérica, ao invés de no fim reclamar deles só aceitarem via cartão. Esse ano eles só estavam na base de cartão, mas consegui um emprestado para isso, então o jogo seguiu.

Quase nada estava com um preço particularmente bom, mas algumas HQs do Batman 66 estavam a 5 reais. E por algum milagre, Mauricio de Souza: Biografia em Quadrinhos estava a 11 reais. Quem se interessa por esses livros da MSP sabe que nunca estão baratos, uma chance dessas não se pode deixar passar. Uma compra pequena, mas suficiente para me fazer visitar o portentoso Barra Shopping e retirar meus prêmios.

LIVRARIA CULTURA

Outro lugar onde já comprei muito, em especial quando vou na da Cinelândia, ainda nos tempos onde parte do espaço não era sublocado para escritórios e não haviam moradores de rua passando o dia dormindo nas poltronas, vendo filmes ou jogando Gran Turismo. Continua confortável, mas estou me ajeitando e achando onde está tudo, só achei os CDs na última visita.

Eles roubaram vendas de outros lugares. Give More Love, de Ringo Starr, quase comprei na Livraria da Folha, mas está a 17 por lá, um feito e tanto, sendo esse um lançamento bem recente. Mas eles andam bem esse ano, eu comprei o After Laughter por 16 poucos meses depois do lançamento. Além disso, comprei Fantasia, a edição especial com 2 DVDs. No Submarino andou por 15 reais, lá está 10 reais. Além disso, um livro chamado Às Últimas Palavras, de Allan Sieber. Comprei porque o autor é ótimo e estava a 3,50. E isso me credencia a ir na Senador Dantas buscar minhas coisas e me perguntar porque as coisas estão assim.

MEU GAME USADO

Eu comprei os jogos que a Submarino vendia por lá, Já estavam mais baratos, o frete é um pouco menor que o de lá e ainda tinha 15% de desconto no boleto. Eles testam os jogos antes de vender, então não estou preocupado. Não temos uma editoria de games(que seria minha, aliás), então me resumirei ao básico de informações. Foi um bom investimento.

LIVRARIA DA FOLHA

Surgiram do nada anos atrás num e-mail. Comprei o box dos Trapalhões por lá e meses depois alguns discos de Elton John, sempre tem promoções curiosas, mas nem sempre do meu interesse, o design do site deles não é muito agradável.

Eu só não gastei mais com eles nessa Black Friday por controle de custos.  Eles capricharam nessa edição. Começa que os Original Album Series estavam a 25 reais. São coletâneas de 5 CDs de artistas, eu tenho de Elvis Costello, Lou Reed, Faith no More e Miles Davis, nenhuma por esse preço. Quase levei a de Bootsy Collins ou a do Pretenders, mas felizmente esgotaram antes de me causar um dilema maior.

Finalmente comprei Sintetizamor, o álbum de João Donato e Donatinho que escrevi mais cedo nesse ano em um impulso. Estava com um bom desconto, mas acabaria comprando mesmo sem ele. A grande dúvida foi entre dois livros grandes. De um lado, Roberto Civita, a história do histórico comandante da Editora Abril, um livro que aguardo desde que soube da existência no Histórias Secretas: os bastidores dos 40 anos da Playboy no Brasil. Além disso, a história da família Civita foi uma das coisas mais fascinantes contadas por Mário Sergio Conti em Notícias do Planalto. Nunca vi abaixo de 60 reais. Estava a 38.

Também a 38 reais estava Enquanto Houver Champanhe, Haverá Esperança, a biografia de Zózimo Barroso do Amaral, um dos maiores jornalistas da história do Brasil. Eu não consegui achar na Bienal, pois esqueci que a editora é a Intrínseca e eu ainda os relaciono com Crepúsculo, nunca com um livro desses. Estava a 30 na Estante Virtual, mas foi a 47 com o frete. Aqui esteve a 38. Eu passei boa parte da madrugada decidindo qual dos livros levar e esse acabou vencendo a disputa, pois estou com referências a Zózimo mais recentes, ele é um nome recorrente no bom Vaudeville, de Ricardo Amaral.

Foi uma das grandes vencedoras dessa Black Friday.

AMAZON

As redes daqui estão desesperadas com eles, sendo que eles nem aceitam boleto, aí sim Saraiva e as outras teriam um argumento ainda melhor pra reclamar e ameaçar de boicote. Foi minha primeira compra, muito porque a Biblioteca Don Rosa está mais barata por lá, a Abril está mal das pernas e tem que extorquir de alguma fora, mas eu posso dar meu jeito. 80 reais, tenham vergonha, o pior é que se eu fosse rico, pagaria sem chiar.

Enfim, comprei uma das edições por 39,90. Havia uma por 42 reais, ia fechar por aí, mas lembrei de comprar o livro de Jeremy Scott, do Cinema Sins, um canal já usei citações aqui e tirarei um dia pra falar com mais profundidade. Enfim, resolvi prestigia-lo e comprar seu livro, The Ables. Mas ei que em uma última ronda, foi nas HQs e vi a edição definitiva de O Cavaleiro das Trevas por 55 reais, um livro que normalmente é 94 e que a FNAC vendeu por 61 duas semanas atrás, queimando a largada. Acabei tirando um livro do Don Rosa e assim, devidamente parcelado, fiz meu último movimento da Black Friday, quando já eram 4 da manhã e a mente estava em frangalhos depois de tantas decisões.


Os boletos foram pagos depois que acordei, então só resta esperar e descansar. Na próxima edição do consumismo, falarei sobre que CDs comprar quando seus amigos viajam pra fora e é muito mais fácil e barato de conseguir. Especificamente na Inglaterra, a terra do ska.

Post Comment
Postar um comentário