Top Social

GUIA DO CONSUMIDOR | MEIA BIENAL CONCLUÍDA

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Conforme sabemos, comprei tantos livros na última Bienal do Livro que pude por eles ser soterrado. Um esforço que destrói um pouco minha coluna, mas é raro e sempre vale a pena. Até onde comprar livros conhecidos ou meras apostas vale a pena, em que pese o baixo preço? É o que veremos na primeira parte desse guia. Alguns desses livros serão abordados com mais profundidade no futuro.

A Vida e o Veneno de Wilson Simonal - Ricardo Alexandre

Aguardei anos pra ter esse livro após parar para ler de graça, como sempre fiz no tempo que a Nobel era a única livraria em Nova Iguaçu. Uma passagem desse livro sempre me emocionou e ficou gravada na minha memória ao longo dos anos. É um relato biográfico completo, onde se pode descobrir músicas novas e finalmente ter um esclarecimento sobre a vida do artista durante seus anos de obscuridade, algo que o documentário Ninguém Sabe o Duro Que Dei não abordou. Valeu os 32 reais que paguei, se achar em alguma promoção, compre imediatamente. A

Palavra Cruzada - Júlio Maria

Não sabia o que esperar daqui. Me deparei com bons fragmentos da história recente quando às entrevistas eram interessantes, como os detalhes de como Chico Anysio ficou na geladeira por anos(e só começou a ser resgatado graças a uma campanha do Pânico) e enquanto isso o Zorra Total começava a decair. Ou como Beth Carvalho é preconceituosa musicalmente. As entrevistas boas compensam as com Baby do Brasil e Rodolfo ex-Raimundos, artista que encontra Jesus quase nunca é interessante, ainda mais quando é brasileiro. Comprei por 10, mas imagino que sea mais barato nessas feiras de shopping. B

Jornal do Brasil - Belisa Ribeiro

Uma vez que seu filho volta a estar em evidência matando presidentes 25 anos depois de seu primeiro rap e o Jornal do Brasil anunciar seu retorno em dezembro, nada mais justo abordar uma das melhores compras que fiz na vida. Uma carta de amor ao jornalismo e a um de seus maiores veículos no século passado, seja em seu auge, seja em sua queda. Os capítulos 9 e 10 são a maior prova de que jornalismo bem feito pode mudar a história positivamente. Achei esse livro por 10 reais, sendo que antes estava a 50 na Saraiva. um grande negócio. Vale o preço completo. A+

Uma Autobiografia - Rita Lee

Às críticas alegavam que o livro é repleto de rancor. Não é tão cheio de rancor como fazem parecer e o rancor existente é devidamente direcionado às pessoas corretas(ex-empresária e crítica musical). O jeito de contar torna tudo fascinante, até por sua trajetória não ser necessariamente linear. A melhor história ainda consta na biografia do Tim Maia, mas um livro onde a própria Rita relata quando Nelson Gonçalves a chamou pro seu quarto pra cheirar não tem como ser ruim. Também serve como um bom registro de sua discografia, algo fundamental para a música brasileira. A única ressalva foi não citar o Roupa Nova colaborando com seu disco mais vendido, mas paciência. A

As Sete Vidas de Nelson Motta - Nelson Motta

“A atividade de Nelson Motta requer muita habilidade, pois você deve estar na moda sem fazer absolutamente nada.” DIÁRIO, O Planeta. n°55, agosto de 1989

A impressão que fica é que eu leio quase tudo dele e quase tudo é parecido, de uma forma ou de outra. O estilo é inconfundível. Imaginaria-se que suas memórias renderiam um livro bem mais gordo, mas o que temos aqui é um livro enxuto e com relatos interessantes de outra vida que esteve longe de ser linear durante sua trajetória. O grande acerto foi ilustrar situações do livro com crônicas feitas na época, a da morte de Tim Maia é um protótipo do livro. A sobre Roberto Carlos ser um ídolo, mas não um líder, antecipou em quase 40 anos a biografia proibida (ainda?) de Paulo César de Araújo. Mas convém lembrar que sempre propagou preconceito contra a música sertaneja. 10 reais bem gastos, até vale mais, mas nunca os 40 que livrarias cobram.  B+

Vaudeville - Ricardo Amaral

Um dos pioneiros do colunismo social brasileiro, uma pessoa que sempre lidou com pessoas importantes e/ou ricas. Há um risco de conhecer poucos nomes citados logo de cara. Um exemplo de empreendedor. Suas experiências no showbusiness são divertidíssimas, são onde o livro brilha, em especial relatando a vida social das boates e do Metropolitan. Ainda assim, sua busca constante por pessoas decorativas para suas boates e a reclamação sobre a boemia morrer com a popularização das boates pode ser incômodo de ler, ainda que compreensível. Recentemente está nas bancas por 30 reais, felizmente achei na Bienal por 10. B

Cowboys do Asfalto - Gustavo Alonso

Talvez o maior livro desvendando a música brasileira desde Eu Não Sou Cachorro, Não. Um livro magnífico, cujo autor é o mesmo de outra biografia do SImonal. Diferencia a música caipira da música sertaneja desde suas origens, explica o preconceito que a música sertaneja sofreu ao longo da história por todos os lados até que finalmente fosse aceita pela maioria. Um estudo extenso e maravilhoso de se ler, algo para despir leitores de eventuais preconceitos. Está levemente desatualizado, pois foi lançado antes do boom nacional do que é chamado de feminejo. Ainda assim é uma obra prima, a qual fico feliz de ter achado por apenas 10 reais. Leitura obrigatória. A+

Post Comment
Postar um comentário