Top Social

HQs: POR ONDE COMEÇAR? | INDICANDO QUADRINHOS #01

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Com a invasão de heróis no cinema muitas pessoas vêm se interessando pelo universo dos quadrinhos, porém, devido a falta de informação e o medo de não conseguir se inserir nessa mídia, o interesse acaba rapidamente. Afinal, por quais títulos é possível entrar nesse universo?

Essa é uma pergunta que vou tentar responder aqui. Claro que a lista a seguir não é definitiva - longe disso - e está mais para uma "lista de fácil acesso", com HQs que são encontradas facilmente nas grandes livrarias. 

Então vamos começar. Sem ordem específica, diga-se de passagem, visto que algumas delas têm público alvo diferente. Novamente, as obras aqui citadas podem ser encontradas atualmente com facilidade e até mesmo com certo desconto, o que é sempre bom parar atrais novos leitores para a nona arte.

GUERRA CIVIL


Essa saga da Marvel Comics, que batizou o terceiro filme do Capitão América, é escrita por Mark Millar e desenhada por Steven McNiven e é uma ótima porta de entrada para o Universo Marvel por ser um quadrinho auto contido (como os demais nessa lista). "Guerra Civil" tem um ótimo ritmo com várias cenas de ação e um dilema político que, apesar de ser em um contexto diferente do filme, é muito bem trabalhado e consegue dividir a opinião dos leitores quanto a qual lado estava certo quanto a "resolução do problema". Com certeza é um clássico moderno do gênero.

SUPERMAN: ENTRE A FOICE E O MARTELO


Depois de muitos anos de pedidos incessantes a Editora Panini resolveu trazer de volta "Superman: Entre a Foice e o Martelo" para os estoques das livrarias brasileiras. Assim como a HQ citada anteriormente, essa também é roteirizada por Mark Millar, porém conta com desenhos de Dave Johnson, entre outros artistas. É um ótimo exercício de imaginação, feito de maneira primorosa, uma vez que conta com a visão de mundo do autor caso a nave do Superman tivesse caído na URSS em plena Guerra Fria.

MAUS


Nessa graphic novel Art Spiegelmen narra a história de seus pais, um casal de judeus poloneses que viveu na pele o horror do holocausto. "Maus" tem uma abordagem muito marcante, uma vez que os personagens são retratados como animais, ou seja, cada etnia é mostrada de uma forma diferente - judeus são desenhados como ratos (assim como eram chamados pelos nazistas), soldados alemães são gatos, etc. Outro fator muito tocante da obra é a forma como o autor descreve a relação com o próprio pai, de maneira a evidenciar que as experiências vividas por ele, durante o período da Segunda Guerra, foram capazes de deixar marcas que não podem ser vistas.

PÍLULAS AZUIS


Assim como o título anterior esse também é ideal para pessoas que acreditam que quadrinhos são feitos exclusivamente para crianças. Aqui temos o quadrinista suíço Frederik Peeters em uma narrativa auto biográfica sobre como conheceu e se apaixonou por Cati, mãe solteira de um menino de três anos, tendo como ponto principal o impacto da descoberta de que tanto Cati quanto o filho são HIV positivos. Essa história emocionante toca devido a sinceridade do autor, mostrando seus receios e medos diante desse relacionamento em termos inesperados.

SCOTT PILGRIM CONTRA O MUNDO


Essa é a única indicação nessa lista que consiste em mais de um volume porém, como todas as outras, pode ser encontrada facilmente. "Scott Pilgrim" é dividido em três volumes e foram publicados através do selo de quadrinhos da Companhia das Letras, a Quadrinhos na Cia. Aqui conhecemos um jovem canadense com problemas financeiros e sociais, que reprime várias lembranças do seu passado, seja por culpa ou constrangimento. A jornada do herói se inicia quando ele se apaixonada por Ramona Flowers e descobre que só podem se tornar um casal caso ele derrote os sete ex namorados mal de Ramona. Apesar da premissa parecer boba, Bryan Lee O'Malley consegue tornar a jornada muito divertida e, em alguns momentos, emocionante. Quando Scott finalmente enfrenta seu receio e amadurece, fica difícil não se identificar.

E algumas menções honrosas...

Fica muito difícil falar sobre uma mídia tão vasta e diversa com apenas cinco indicações. Por isso, cabem nessa lista clássicos absolutos como "Marvels", que narra eventos principais do Universo Marvel pela visão de um repórter com a maravilhosa arte de Alex Ross (dá um google!). Vale citar "Watchmen", uma obra considerada máxima dos quadrinhos que conta com o gênio Alan Moore em seu auge, com uma história que, assim como "O Cavaleiro das Trevas" de Frank Miller (também recomendado), desconstrói o arquétipo dos super heróis.

Mais recentemente por aqui tivemos as Graphic MSP, um projeto que consiste em histórias de personagens criados por Maurício de Souza, porém escritas com uma abordagem diferente por novos artistas brasileiros do ramo dos quadrinhos. Destaque para "Turma da Mônica: Laços", "Turma da Mônica: Lições", ambos escritos por Victor e Lu Cafaggi, e "Chico Bento: Arvorada" de Orlandeli, que são capazes de arrancar algumas lágrimas até dos corações mais gelados.


Post Comment
Postar um comentário