Top Social

RESENHA | AURA NEGRA - RICHELLE MEAD

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

SINOPSE 

A Escola São Vladimir está em alerta após um ataque dos sanguinários Strigoi. Os Guardiões admirados por suas habilidades e seus grandes feitos, se preparam para entrar em ação. A escola envia seus alunos para um hotel de luxo e bem protegido, porém um imprevisto obriga Rose a deixar a segurança de seu lar e impedir que o pior aconteça. Apenas quando a vida de seus amigos está por um fio é que a heroína descobrirá força dentro de si.

RESENHA


Deixamos Rose Hathaway e Lissa Dragomir em "O Beijo das Sombras" num momento feliz - aqueles que lhes fizeram mal irão pagar por seus atos e o poder do espírito, antes visto como algo negativo e prejudicial para seus portadores, agora poderá ser estudado e, segundo informações a respeito de Vladimir e Anna, uma guardiã também beijada pelas sombras, a vida pode ser boa enquanto Rose e Lissa permanecerem juntas. 

Após uma breve recapitulação dos acontecimentos do livro anterior encontramos Rose pronta para realizar uma viagem de carro - que se torna mais excitante com a presença de Dimitri Belikov - até o local onde passará por seu teste de qualificação, aplicado pelo lendário guardião Arthur Schoenberg, antigo chefe do Conselho dos Guardiões, mas que agora dedicava sua vida a proteção de uma família Moroi. Ao chegar ao local de residência dos Badica, porém, Rose e Dimitri são recebidos por um banho de sangue: todos os membros da realeza e alguns visitantes foram mortos impiedosamente. Seus assassinos? Strigoi. E assim, o que deveria ser um dia qualquer, acaba se revelando o início do fim.

Se existe, todavia, um ponto positivo no derramamento de sangue de membros da realeza, é a aparição de dois novos personagens - Janine Hathaway e Adrian Ivashkov - e uma mudança de cenário. As coisas entre Janine e Rose não são nada amigáveis e, graças a esse conturbado relacionamento entre mãe e filha, aprendemos um pouco mais sobre como dampiras e guardiões são vistas no meio em que vivem. 

Vocês que são da realeza deveriam tentar resolver seus problemas como nós fazemos. Uma briga e alguns socos de vez em quando fariam bem a vocês.

Além dessa questão, vemos mais intensamente como funciona o sistema administrativo dessa sociedade. Lissa Dragomir, como a última representante de sua família, está cada vez mais inserida nesse meio e vê de perto a corrupção constante, bem como os jogos mesquinhos de poder e abomina cada um dos membros reais ainda presos a antigos costumes. Victor Dashkov havia dito que uma revolução estava para acontecer e, graças as recentes declarações de Tasha Ozera, Lissa percebe que as famílias estão divididas e, surpreendentemente, concorda com as ideias consideradas radicais e pretende, aos poucos, mudar os padrões pré estabelecidos pela Rainha Tatiana.

Entretanto "Aura Negra" não se resume a questões políticas e problemas familiares. Devido a constante ameaça dos Strigoi os aprendizes têm cada vez mais vontade de provar seu valor e isso leva Mason Ashford e Eddie Castile a planejarem uma missão suicida. Ao lado deles está Mia Rinaldi, abalada com os acontecimentos recentes, e ao pôr em segurança a vida de uma Moroi com tal objetivo insano acabam levando Rose e Christian Ozera a segui-los, mesmo sabendo que existe a possibilidade de quem nem todos voltem com vida.

Eu tenho mais autocontrole do que vocês, e se vocês me conhecessem minimamente saberiam o quanto isso é pouco.

Repleto de momentos impactantes e reviravoltas dramáticas, o segundo livro de "Academia de Vampiros" não deixa a desejar e supera, em certos aspectos, seu antecessor. Richelle Mead mais uma vez não tem medo de ousar e optar por caminhos inesperados para alguns leitores, tudo isso com a graça de quem sabe escrever ótimos diálogos e construir personagens cada vez mais interessantes. Definitivamente uma amostra do que está por vir e o que Rose Hathaway precisará enfrentar nos próximos livros.


Post Comment
Postar um comentário