Top Social

RESENHA | ACONTECEU NAQUELE VERÃO - STEPHANIE PERKINS

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

SINOPSE

Bem-vindos à estação mais ensolarada e apaixonante de todas! No verão, somos todos iguais, diz um dos personagens do conto “Mil maneiras de tudo isso dar errado”. No Brasil, nos Estados Unidos ou em qualquer lugar do globo, uma coisa é certa: no verão, nossos corações ficam mais leves, mais corajosos, impetuosos e confiantes — talvez por isso esta seja a estação perfeita para se apaixonar... e Aconteceu Naquele Verão é o livro ideal para quem adora histórias de amor. A lição é simples: o amor não escolhe lugar nem hora para surgir. Coloque seus óculos escuros e abra sua cadeira de praia, porque neste verão você terá doze motivos para suspirar e se apaixonar.

RESENHA



Verão é, por definição, a estação mais quente do ano, ou seja, enquanto algumas pessoas aguardam ansiosamente por mergulhos na praia e bronzeados impecáveis outras preferem o conforto de algumas almofadas e a climatização de um ar condicionado. Resumidamente, é uma época do ano oito ou oitenta. Mas, segundo os filmes hollywoodianos, são os três meses perfeitos para viver aventuras e um romance inesquecível - e é isso o que "Aconteceu Naquele Verão" entrega aos seus leitores. 

É claro que, assim como no livro de contos anteriormente organizado por Stephanie Perkins, "O Presente do Meu Grande Amor", esse também brinca com variados gêneros literários populares entre o público jovem adulto, tornando-o eclético e dinâmico. Autoras como Leigh Bardugo e Cassandra Clare, conhecidas por suas obras de fantasia, fazem o que sabem melhor e narram tramas fantásticas onde o verão é apenas um personagem coadjuvante e procuram trabalhar seus protagonistas para que, ao final da leitura, fique a vontade de saber mais sobre cada um deles. 

Nina Lacour, Veronica Roth e Jennifer E. Smith são outras autoras que finalizam seus contos e deixam os leitores com uma sensação agridoce; felicidade por uma conclusão, tristeza por precisar dizer adeus. Respectivamente temos a história de uma jovem que precisa lidar com a separação dos pais, um casal de amigos num universo distópico atravessando um momento traumático e um romance numa colônia de férias - com isso pode-se notar a variedade de conteúdo de "Aconteceu Naquele Verão", que talvez não seja capaz de agradar em cada um dos contos, mas definitivamente em sua maioria. 

Ler um livro de contos é sempre complicado, pois nunca sabemos exatamente o que esperar de cada um dos autores, uma vez que dificilmente estamos familiarizados com o trabalho de todos. Por isso é preciso que estejamos dispostos a conhecer novos estilos de escrita. Infelizmente, nem toda obra literária irá cativar um número absoluto de leitores. 

Algo que pode-se notar em "Aconteceu Naquele Verão" é a permanência de muitos autores em suas zonas de conforto, não na mesma categoria na qual Clare e Bardugo estão inseridas, mas sim por escreverem histórias que não apresentam elementos inovadores, apenas aqueles que já foram vistos antes e que, num consenso geral, funcionam. É o caso de Tim Federle e Lev Grossman que acabam criando cenários e personagens rasos que talvez funcionassem melhor num formato maior, onde a trama poderia ser desenvolvida propriamente. Porém, quando nos afastamos e olhamos o quadro por completo, vemos que Stephanie Perkins reuniu autores incríveis, capazes de proporcionar o entretenimento ideal para uma primeira leitura do ano.

Post Comment
Postar um comentário